25.1.15

Francisco de Assis...

Francisco, o guerreiro
Cedo despertou
Entregou-se a Deus
A matéria largou…

Apelidado de louco
Os leprosos curava
Sofrendo o escárnio
Dos que antes adulava

Divulgou o Evangelho
Por terras distantes
Discordou do Papa
E dos arrogantes

Prosseguiu o pobre
Francisco de Assis
Amando e servindo
A Deus, como quis

Nem mesmo a cegueira
O conseguiu “cegar”
Mesmo sem ver
Continuou a pregar

Incompreendido
Nunca titubeou
Deixando na Terra
O Amor que pregou

Grande Luz deixou
À Humanidade
Um roteiro humilde
Para florir mais tarde

Está na hora
Do Francisco imitar
Levando a todos
O acto de Amar

O pobrezinho d’Assis
Foi o mais rico, afinal
Mostrou que o Amor
É tesouro imortal…

A Terra clama
Que voltes de novo
Para que ilumines
Este pobre povo

Um raio de Luz
Se dirige à Terra
É Francisco que volta
P’r Amar quem erra


Poeta alegre 

Psicografia de JC, em Óbidos, Portugal, em 12 de Janeiro de 2015

0 comentários:

Enviar um comentário