12.2.14

O tempo...

O relógio marc’a hora
Minuto a minuto
Seja para o honesto
Seja para o corrupto

Tempo que passa
É tempo perdido
Se não aproveitado
Em algo merecido

Tanto tempo se perde
Com tanta futilidade
Que não imaginais
O que perdeis de verdade

Se a vida deve ser
Alegre e vivida
Aproveita o momento
Minha alma querida.

Poeta alegre 
Psicografia recebida por JC no Centro de Cultura Espírita, Caldas da Rainha, Portugal, 27 de Agosto de 2013

0 comentários:

Enviar um comentário