24.8.14

O mundo da ilusão...

 
Meu irmão,
Vou-te contar
Como funciona
O mundo da ilusão.

Ontem visitei
Kimbu do interior,
Onde as cubatas
Mostravam horror.

Mães e pais,
Crianças esfomeadas
Não deixavam de sorrir
Nas brincadeiras inopinadas.

Chorei de revolta,
Que transformei em oração
Por aquela gente
Não ter um naco de pão.

De que serve
A liberdade do colonizador
Se depois, o povo livre
Sofre a fome e a dor?

Fui até Manhattan
E encontrei luxo,
Dinheiro desbaratado
Como na caça, o cartucho.

Gente célebre,
Bêbada e drogada
São os heróis
Da sociedade desnorteada.

Recolhendo-me no Além,
Fiz profunda reflexão
Sobre o que é a realidade,
E o que é a ilusão.

Os primeiros pensam
Ser desgraçados sem dó,
Os segundos, uns senhores
Viciados no “pó”.

Posso-te afiançar
Vencedores: os primeiros,
Enquanto os outros
Serão os derradeiros,

A encontrarem
As blandícias celestiais,
Pois, quer uns, quer outros,
São todos imortais.

Não te esqueças,
Querido irmão,
Que aí na Terra,
Viveis no mundo da ilusão

Que podeis melhorar
Com o vosso amor,
Por tudo e por todos,
Seja ele quem for.   

Poeta alegre

Psicografia recebida por JC no ENL, Óbidos, Portugal, em 03 Fevereiro 2014

0 comentários:

Enviar um comentário