26.6.14

Zé "Camaleão"...

Zé o “Camaleão”
Era assim chamado
Pois sempre que podia
Mudava de “lado”...

Como o vento muda,
Em tempestade imprevista,
Também Zé, o Camaleão,
Só tinha dinheiro em vista.

No partido político,
Ou até na religião,
Desde que visse dinheiro,
Lá estava o Zé Camaleão.

Viveu à grande e à francesa,
Na sua dúbia existência,
Até ao dia em que faleceu,
Na luxuosa residência...

Acordou no lamaçal,
Desconexos pensamentos,
“Mas, onde estou eu,
Porquê estes tormentos?”

Em zona purgatorial,
Sofreu até aprender,
Que só a humildade,
Nos livra do sofrer!

Em arrependimento,
A Deus pediu protecção,
Benfeitores o recolheram,
E levaram à reencarnação.

Nasceu em zona pobre,
Do interior brasileiro,
Onde teria vida dura,
E pouco dinheiro…

Nessa existência carnal,
Aprendeu a dignidade,
A ser coerente,
A praticar a caridade.

Tinha anseios de grandeza,
Que logo esquecia,
Quando lhe falava de Jesus,
Guilhermina, sua tia.

Na Vida, sê sensato,
Autêntico e correcto,
Só assim trilharás,
O caminho certo.

Poeta alegre 

Psicografia recebida por JC no ENL, Óbidos, Portugal, em 18 de Junho de 2014

2 comentários:

SULA SILVEIRA disse...

Linda mensagem em forma de poema que nos
ajuda a refletir sobre a importância de sermos verdadeiros
em todos os sentidos e condições da vida.
Se for necessário que bajulemos para conseguir
nosso intento, rejeitemos essa atitude, que inferioriza
nossa condição moral e espiritual.

Sermos honestos conosco mesmo, com o
nosso próximo, mesmo que não consigamos grandes
feitos, afinal não estamos aqui para ganhar, receber,
mas sim para aprendermos a humildade, a mais
importante de todas as virtudes.

Obrigada, meu irmão José Lucas, por compartilhar
tão importante aprendizado.

MUITA PAZ!!!
Suely dos Anjos (Sula)

Anónimo disse...

Muito bonito.
Obrigada

Enviar um comentário