25.11.12

O pinga-amores...


Eu amei a Florinda
A Micaela, a Florbela
E ainda andei atrás
Da Maria e da Manela

Fui um D. Juan
Mas não fui amado
Sendo muito rico
Era por elas idolatrado

Desejavam vida dourada
No castelo do meu tutor
E mal sabiam elas
Que era apenas sedutor

Um dia acordei febril
Que doença apanhei?
Foi a sífilis, soube depois,
Quando desencarnei

No Além eu procurava
As donzelas da minha terra
Mas elas não me ligavam
Não me viam, gente cega…

Muito tempo depois,
Ser gentil e luminoso
Convidou-me pr’a palestra
À qual fui todo vaidoso

Finalmente, alguém com porte
Me dava a devida atenção
Finalmente tinham reconhecido
A minha grande posição

Em grande recinto
Com gente sem contar
Ouvi o tema em pauta
“É preciso saber Amar…”

Bela lição ouvi
D’um ser iluminado
Sobre o que é o Amor
Pr’ó vivo e pr’ó desencarnado
  
Fiquei em estado de choque
Eu, o sedutor imortal
Afinal, não tinha amado
Tinha feito muito mal

Como sempre fui forte
Determinado no meu ideal,
Jurei para mim mesmo
Jamais farei este mal

Pedi para nascer
Em família necessitada
C’uma perna mais curta
E a língua entravada

Nessa vida não casei
Nem tão pouco namorei
Trabalhei sem cansar
E os pais amparei

Agora que me sinto melhor
Após ter voltado
Vos peço, por amor de Deus
Que a ninguém tenham enganado

O Amor verdadeiro
Não tem outro igual
É o que brota do peito
O Amor espiritual

Poeta alegre
Psicografia recebida por JC, na reunião mediúnica do CCE, C. Rainha, Portugal, em 28 de Agosto de 2012 

0 comentários:

Enviar um comentário