6.11.12

O invejoso...


Andava o Zé Mota
Na sua motorizada
D’um lado para o outro
Na vida agitada

Uma vez por outra
Cruzava-se com o João
Presidente da Câmara
No seu belo carrão

Nesse momento
Um raio invejoso
Atingia o carro
Do João “poderoso”

Zé Mota invejava
O êxito do João
E não se apercebia
Do aperto no coração

Tal aperto era
Influência do Ricardo
Que o incentivava
À inveja, com’um petardo

Zé Mota era infeliz
No seu dia-a-dia
E infelicitava também
A esposa, filha e a tia

E assim viveu
Até morrer
Com inveja por dentro
Sempre a corroer

Cuidado amigos
Com tal proceder
Pois invejar o próximo
Só faz sofrer

Estai atentos
Ao pensamento
Para que nunca entre
Inveja no momento

E com esse cuidado
Viverás muito melhor
Do que o Zé Mota
Que invejou até ao estertor

Poeta alegre
Psicografia recebida por JC em 17 de Julho de 2012, em Óbidos, Portugal

2 comentários:

Anónimo disse...

Decididamwnte, sou fã incondicional do Poeta alegre: observadorfino e atento, adverte-nos em seu estilo peculiar,leve mas profundo, sobre maselas, subtis ou mais patentes, da às vezes surpreendente personalidade humana.

José Lucas disse...

É um senhor que deixa um rasto de alegria, e uma sensação bem agradável, de amizade, fraternidade, mas cuja identidade desconheço

Enviar um comentário