29.4.16

Cultura Espírita encheu o CCC...


23 e 24 de Abril de 2016 ficarão na memória das 510 pessoas que estiveram presentes nas XII Jornadas de Cultura Espírita de Caldas da Rainha, Portugal. 
Conferências, teatro, música e cinema, foram a pedra de toque para um evento que, este ano reuniu portugueses, espanhóis e brasileiros.

A Doutrina Espírita (ou Espiritismo) apareceu há 159 anos, após pesquisas incansáveis por parte do Prof. Hippolyte Rivail, em França (Allan Kardec), que utilizando o método experimental ainda hoje em voga, apresentou ao mundo a Doutrina Espírita, não como mais uma religião ou seita, mas sim uma ciência de observação, uma filosofia de consequências morais.
Durante a ditadura do Estado Novo, o Espiritismo foi perseguido e ilegalizado em Portugal, pois incomodava o antigo regime e o Cardeal Cerejeira. Os seus bens foram confiscados e entregues à Casa Pia, e até hoje ainda não foram devolvidos.
Após o 25 de Abril de 1974, o Espiritismo renasceu das cinzas, e hoje, em Portugal, apresenta-se como uma forte ideia cultural, esclarecedora e consoladora, que faz a ligação entre ciência e espiritualidade, de uma forma raciocinada e com bases científicas, assente na moral ensinada por Jesus de Nazaré.
Já com tradição espírita nas Caldas da Rainha, desde o tempo do Estado Novo, o Espiritismo floresce de novo, com dois centros espíritas na cidade, cujo objectivo é servir, esclarecer, consolar, sem pedir ou aceitar nada em troca.
Só por muita distracção ou maldade é que alguém, nos dias que correm, com a informação que existe, pode confundir Espiritismo com superstição, crendice, magia, etc…
Amplo movimento cultural, vem de encontro às ânsias do ser humano, explicando o porquê da Vida, de onde vem e para onde vai após o decesso do corpo físico, tendo como objectivo contribuir para a pacificação do Homem, e consequentemente da sociedade, auxiliando-o assim a potencializar a sua espiritualidade, aproximando-o de Deus.
Sob o tema “As duas faces da Vida”, as XII Jornadas de Cultura Espírita do Oeste decorreram no Centro Cultural e Congressos de Caldas da Rainha, onde mais de 500 pessoas de Portugal, Espanha e Brasil (para além das centenas que acompanhavam “online” e outras que ainda poderão ver no “Youtube”), ouviram médicos, professores, jornalistas, psicólogos, abordarem de forma coerente e pesquisável, toda a vida do ser humano, desde a preparação para a reencarnação até à vida no mundo espiritual, após a morte do corpo físico.

O Espiritismo é cultura, não é mais uma religião ou mais uma seita.
Como ciência filosófica de consequências morais, ajuda o Homem
a espiritualizar-se, aproximando-o assim de Deus.

Edmundo Cezar, presidente da Associação Brasileira de Artistas Espíritas (ABRARTE), interpretou de forma magistral os monólogos “Tintino” e “Um lírio no pântano”, recebendo demora ovação do auditório, de pé.
Felipe Menezes, vice-presidente da Federação Espírita do Amapá, Brasil, apresentou uma curta-metragem sobre o aborto e o suicídio, premiada, intitulada ”Agora… já foi”.
O grupo “Canções do Bem”, de Goiânia, Brasil, fez nas Caldas da Rainha o lançamento mundial do seu 1º CD de música, música esta que encantou o vasto auditório, envolvendo-o em doces vibrações de paz, harmonia.
O evento começou como terminou: com uma magistral conferência do Físico e Prof. universitário Moacir Costa Lima, que deliciou todos os presentes com o seu saber, a sua arte de comunicar, mas acima de tudo com a sua simplicidade.
O bom tempo ajudou as centenas de pessoas que se deslocaram a Caldas da Rainha, que foram conhecendo a cidade, os seus museus, que contribuíram para a economia local, dormindo, comendo, e que levaram na retina boas recordações da cidade.
Conforme referiu o Sr. Presidente da Câmara, Dr. Tinta Ferreira, aquando do seu discurso de abertura, Caldas da Rainha sabe receber aqueles que a visitam, discurso aliás muito admirado, citado e elogiado por parte dos participantes, admirados com a postura pluralista, tolerante e isenta demonstrada pelo Sr. Presidente da Câmara.
O objectivo foi atingido: levar ao público a cultura espírita, que objectiva pacificar consciências, a sociedade, e espiritualizar o ser humano. Na medida em que ele se espiritualiza, pacifica-se, passando a colocar em prática a essência dos ensinamentos de Jesus de Nazaré: “Fazer ao próximo o que desejaríamos que nos fizessem”.

0 comentários:

Enviar um comentário