29.10.14

O espírita iludido...

Ernesto adentrou
O mundo espiritual
Muito iludido
C’o destino pessoal

Sorridente e feliz
Dizia-se espírita de 1ª
Lá veio um benfeitor
Esclarecer a “brincadeira”

Caro Ernesto,
Bem-vindo ao piso -3
Aqui só entra gente
Que não foi boa “rês“

Ernesto empalideceu
Perante os benfeitores
Mas não tenho eu,
Anos c’os sofredores?

Tem razão amigo,
33 anos na Associação
Mas em vez de melhorar
Falava e dava pão

Por isso caro irmão
Tem o prémio d’aqui estar
Pois, com mais esforço
Estaria noutro andar

Neste piso estacionam
Os que na Terra estacionaram
Eram espíritas de 3ª,
Não mais avançaram

Eram aqueles,
Prontos para ajudar,
Mas, desde que
Não os fizessem suar.

No piso zero,
Estão os espíritas de 1ª
Que assumiram a missão
Na sua vida inteira…

Ernesto então percebeu
Quanto tempo perdera
Mesmo indo à Associação
Pouco mais aprendera

Envergonhado, calou-se
E entrou em meditação
Teria de voltar à Terra
Para ter mais acção...

Poeta alegre
Psicografia recebida por JC na reunião mediúnica no CCE, C. Rainha, Portugal, em 2014-09-02

0 comentários:

Enviar um comentário