17.3.10

Prece de Natal


A Terra bramia
Na escuridão espiritual
Quando veio do mais Além
O salvador, afinal!

Nasceu o menino
Sem pompas nem circunstância
Nasceu pequenino
Mas grande era a esperança!

Anjos no Além
O nimbavam de luz
Protegendo o menino
O menino Jesus

Trouxe ao homem
A mensagem final
Deus é o Pai
De todos por igual

A bondade em pessoa
Sofreu a humana maldade
Falou, praticou, ensinou
Exemplificando à humanidade

Jesus o Nazareno
Ridicularizado, incompreendido,
Foi morto e pregado
Tendo muito sofrido.

Quando os homens julgaram
Que a morte O levara
Ele alçava-se a nova aurora
Que ali começara

Seriam momentos de luta
De difícil apostolado
Divulgar a sua doutrina
Por todo o lado.

Ser cristão era crime
Punido sem igual
Ser carne para leão
Era sentença fatal.

Novos tempos novas lutas
Se deparam agora.
Ser cristão é difícil:
Fazer a íntima melhora.

Pensa em Jesus
Não só no Natal
Segue-O no quotidiano
Até ao dia final.

Faz da vida
Um Natal em permanência
Iluminando-te a vida
Nesta tua existência.

Se assim procederes,
Na hora final
Largarás o corpo
Com êxito total.

Jesus, bondade e Amor
Toca-nos o coração
Num mundo de dor
Ampara o teu irmão.

Só assim será Natal
Pondo o Amor em acção
Caridade não é palavra vã
Não te iludas meu irmão.

Amélia
Psicografia recebida nas Caldas da Rainha, Portugal, em 22 de Dezembro de 2003 

0 comentários:

Enviar um comentário