31.5.17

Amor incondicional...

Na vida em flor,
conheci a flor da minha vida.
Era linda, colorida,
era alguém muito querida.

Juntei-me com ela
no mesmo canteiro.
Eu, casado por Amor,
ela, por dinheiro.

Passado tempos,
vieram as dificuldades,
a seca, o estrume,
e ela cheia de leviandades.

Olhava para ela,
a minha querida flor,
mas ela já não sentia
o seu antigo Amor.

As pétalas foram caindo,
as cores perdendo a cor,
o jardineiro tentando ajudar,
com o seu saber e suor.

Não sei como acontecia,
mas ela ainda era a minha flor.
Já meio alquebrada,
mesmo assim dava-lhe Amor.

Um dia, veio chuva
com muita violência,
destruindo o canteiro
da nossa existência.
  
Quando pensei
tudo estar perdido,
despertei feliz,
ao lado d’um amigo.

Sejas bem-vindo
ao canteiro do Senhor.
Aqui, só entra
quem exercitou o Amor.

Grande felicidade
encheu-me o coração:
que paz, serenidade,
eu sorria d' emoção.

Mas, e a minha flor,
a minha alma querida?
“Voltou para a Terra,
está de partida!”

Queria voltar também,
para perto da minha flor
mas, Deus, misericordioso,
Deu-me ainda mais valor.

“Volta para a Terra, sim,
mas não para o canteiro.
Doravante, será o guia
do teu Amor verdadeiro”.

E, assim, percebi
que o Amor é, afinal,
tudo o que dinamiza
o cosmos universal!

Poeta alegre 

Psicografia de JC, na reunião mediúnica do Centro de Cultura Espírita de Caldas da Rainha, Portugal, em 23 de Maio de 2017

0 comentários:

Enviar um comentário