5.3.17

A Nau interior...

A Nau parece
querer naufragar,
mas, tu não páres
nunca, de remar…

Loucos te dirão
para desistir.
Mas, com convicção,
remarás até ao porvir.

Outros te apelam,
p’rá Nau abandonar.
Mas, seguindo o roteiro,
continuas a remar…

No meio da tempestade,
não ouças a multidão,
que te dirá não valer a pena,
agir como bom cidadão.

Tempo de tormenta,
é tempo de avaliação,
para vermos o que vale,
o nosso coração.

Segue adiante,
porfiando na rectidão,
servindo sem questionar,
de onde é o teu irmão.

Prossegue exemplificando,
como Jesus de Nazaré.
Ama, serve, perdoa,
mesmo ao que te pisa o pé.

Tua luz, teu tesouro,
é produto interior,
que mostrará no Além,
o nível do teu Amor.

Só com Amor
e muita convicção,
se superam estes tempos,
tempos d’expiação!


Poeta alegre

Psicografia de JC na reunião mediúnica do Centro de Cultura Espírita, Caldas da Rainha, Portugal, em 27 de Outubro de 2016.

0 comentários:

Enviar um comentário