2.12.16

Ser Pai...

Jacinto, taciturno,
vivia triste,
ao ver os filhos,
de “pé em riste”.

Por tudo e por nada,
andavam em luta,
e o pai, compassivo,
acalmava a disputa.

Muito sofreu o pai,
com os filhos desvairados,
mas, sabia que um dia,
eles iriam ser aliados.

Faltavam as tribulações,
do quotidiano,
as dores, as maleitas,
as faltas de ânimo…

Com o amadurecer,
foram envelhecendo,
mas o ódio, a raiva, 
por dentro ia “comendo”. 
  
Dores e mais dores,
foram a salvação,
precisando uns dos outros,
tiveram de dar a mão.

Se esse pai terreno,
foi assim compassivo,
imagina como será,
o Pai celeste, eterno Amigo…

Também Ele espera,
que nos cansemos da guerra,
para depois pazear,
a nossa querida Terra.

Poeta alegre 
Psicografia recebida por JC, em Óbidos, Portugal, em 24-11-2016



0 comentários:

Enviar um comentário