7.11.16

O casmurro Matias...

O velho Matias,
era casmurro.
Se havia disputa,
resolvia a murro…

Intratável, duro,
era impulsivo.
Qualquer discordância,
ficava agressivo.

Chegou a hora,
da morte aportar.
No seu funeral,
ninguém a chorar.

Matias, no Além,
não tinha ninguém.
Na Terra, semeara
espinhos e desdém.

30 anos a sofrer,
no mundo espiritual,
por causa do feitio,
próprio d’um anormal.

Queria sempre,
ter razão…
Agora, colhia,
amargura, desilusão.

Foi recolhido,
numa cidade espiritual,
após sinceras preces,
que fizera no final.
  
Quer voltar,
noutra encarnação,
mas, para isso,
tem d’aprender a lição.

Antes de reencarnar,
foi estagiar,
junto d’outro casmurro,
ensinando-o a relevar.

Depois de 20 anos,
de estágio com Ricardo,
Matias finalmente voltou,
está reencarnado…

De vida simples, humilde,
e debilitada saúde,
para aprender a ceder
e aceitar apoio, amiúde.

A vida tem objectivo,
de grande valor,
evoluir no intelecto,
e dilatar o Amor.

Quando a teimosia,
te envolver, obsidiado,
lembra-te da história,
do Matias e do Ricardo.

Poeta alegre
Psicografia recebida por JC, na reunião mediúnica do CCE de Caldas da Rainha, no dia 05/07/2016 

0 comentários:

Enviar um comentário