4.11.15

Ser português...

Povo de marinheiros,
povo de corajosos,
por 30 dinheiros,
matavam andrajosos...

Caravelas e caravelas,
desbravaram os mares,
procurando novos povos,
povos milenares...

Na busca do ouro,
e das especiarias,
desconheciam eles
os divinos guias...

Tudo era
projecto de Deus,
levar a cruz,
aos povos ateus.

Da religião,
ao acto comercial,
fez-se de tudo,
de bem e de mal...

Oh, nautas d'outrora,
vos conclamo, meu povo,
a pegardes nas caravelas,
do mundo novo...

Ide, irmãos meus,
por esse mundo fora,
falai-lhe de Deus,
que o mundo ignora...

Esse é o desiderato,
deste povo antigo,
levar o Evangelho,
aos sem-abrigo...

... da alma,
do pão divino,
para aprenderem de vez,
o eterno caminho!

Esperamos em breve,
ver-vos aportar,
no porto da bondade,
fruto de muito amar.

Ide, ide e divulgai
a imortalidade,
à gente que ignora
tamanha verdade!


Psicografia recebida por JC na reunião mediúnica no Centro de Cultura Espírita de Caldas da Rainha, Portugal, em 3 de Novembro de 2015

6 comentários:

Rafael Fernandes disse...

Lindo poema! Ide a caminho do bem.

Vitor Santos disse...

Que psicografia, meu Deus! Dá vontade de sair já por aí a gritar aos sete ventos que somos espiritos imortais a viver transitoriamente uma experiência de ligação a um corpo de carne. Mas também dá vontade de gritar esta mensagem essencial: Deus é bom, é muito bom. Nós é que temos dificuldade de compreender a extensão da bondade do Criador.

Anónimo disse...

É de uma profundidade , gosto :)

Anónimo disse...

Povos ateus? Que palhaçada. Invadiram povos que tinham as suas culturas e crenças para impor as vossas.

José Lucas disse...

Caro Anónimo,

Quando o Espírito refere

"Tudo era
projecto de Deus,
levar a cruz,
aos povos ateus."

presumo que signifique aquilo que então se pensava: que outrora, os europeus eram os legítimos "representantes" de Deus, que iam espalhar a palavra de Deus junto dos autóctones, que tinham outras crenças, que nada valeriam, que seriam como ateus, que precisavam de conhecer o nosso Deus, o Deus europeu.

Sinceramente não vejo onde haja palhaçada, mas de qualquer modo obrigado pela sua opinião...

Consciencialização Espírita disse...

Pois sim, esta era a crença do passado e de certa forma encorajava os homens a empreenderem conquistas lutando por aquilo que consideravam certo. Não podemos julgar a história, apenas entender o seu contexto dentro de sua própria época. esse legado teve uma importante participação na formação de novas culturas, entrou na composição da identidade de povos e em novas crenças.

Enviar um comentário