5.6.14

Comprar o céu...

O ser humano
Habituado ao trivial,
Pensa poder comprar
O mundo espiritual.

Se tem um azar
Ou uma dificuldade
Vai à mulher de virtude
Saber se é maldade.

Como a ignorância
Não traz luz,
Ouvindo coisas erradas,
Aumenta a sua cruz.

É melhor consultar
As cartas, o tarot;
Foi confundido,
Baralhado voltou.

Depois de muito sofrer,
Correndo Ceca e Meca,
Lembra-se do Centro Espírita
Como a porta certa.

Aí é convidado
À introspecção,
Corrigir o que está mal
E melhorar a acção.

Mas afinal,
Onde está o guia  
Que me orientava
E previa o dia?

Centro Espírita, amigo,
Não é lugar de adivinhação,
É, sim, uma escola
Que aquece o coração.

Estuda Kardec,
Como tema normal,
E não julgues
Que outrem te fez mal.

A espiritualidade
Não é supermercado,
Onde buscas algo
E encontras ali ao lado.

Interiorizar e aprender
São metas pessoais,
Que só segue quem quer  
Sem impor aos demais.
  
Poeta alegre 
Psicografia recebida por JC, no ENL, Óbidos, Portugal, em 2014-05-16

0 comentários:

Enviar um comentário