13.12.13

Obsessões colectivas...

Quando a tempestade
Aparece ameaçadora
Todos se preparam
Pr’á tormenta desoladora

Mil cuidados
São postos em acção
Para minimizar
A possível destruição

Neste momento
Vem nova tempestade
Encharcando tudo e todos
Mas, na espiritualidade

São obsessões colectivas
Num último estertor
De cabeça perdida
Procurando muita dor

Mil cuidados
Precisamos então
Para não cair
Na tola ilusão

A falsa bandeira
Da liberdade falseada
É por esses infelizes
Bem alto hasteada

Muitos serão levados
Na ilusão do momento
Desconhecendo, coitados,
O seu fim: o tormento!

Os que porfiarem
À luz do Evangelho
Nada temerão,
Seja novo ou velho

São tempos de luta
Entre o bem e o mal
Mantende seguro
O roteiro imortal

Seguir Jesus
O meigo Nazareno
Amando a todos
Do grande ao pequeno

E assim vencerás
Este espiritual furacão
Praticando o bem
Sem cair na obsessão

Poeta alegre 
Psicografia recebida por JC, em Óbidos, Portugal, em 10 de Outubro de 2013

0 comentários:

Enviar um comentário