23.11.12

Homem rico, homem pobre...


Neste mundo
Sem Norte,
O povo não sabe
A sua sorte.

Pensando viver
Uma só vida,
Busca apenas
Ter, ter, sem saída...

Os ricos
Não o são!
Os que são ricos,
Não têm tostão.

Os pobres,
São ricos sem saber;
Possuem o tesouro
De não enriquecer.

O homem cego
P’rá espiritualidade,
Vive pr’á matéria
Aí vendo felicidade.

Agora que sabeis
Que a vida continua,
Não te revoltes
Com a agrura.

No mundo espiritual,
O rico verá que não é,
Sendo rico o pobre,
O pobre do José.

Na pátria espiritual,
Rico é o esfarrapado,
Que viveu na dificuldade,
Comendo pão abandonado

Neste mundo,
Com espiritualidade
O povo praticará
A caridade.

Só aí, será feliz,
Com tal atitude
Que o levará
À angelitude.

Poeta alegre
Psicografia recebida por JC, em Óbidos, Portugal, em 12 de Novembro de 2012

0 comentários:

Enviar um comentário