28.10.12

Suicídio não é solução...


Tal como no mito da caverna
Descrito por Platão
Também o Homem d’agora
Vive preso na ilusão

Do materialismo paralisante
Que o inebria no quotidiano
Fazendo do bezerro d’ouro
O seu prémio de fim d’ano

Desconhece o pobre coitado
A sua condição espiritual
Tal como o Homem da caverna
Desconhecia a luz do Sol

Preso no materialismo
Rapidamente fica exausto
Buscando desenfreadamente
Prazer e muito fausto

Quando não os encontra
E entra em depressão
Perde o interesse na vida
Vê o suicídio como solução

Alertai a humanidade
De tão grave ilusão
Esse acto de leviandade
Não é a solução

A vida continua
Diziam os antigos
Kardec confirmou
C’os Espíritos amigos

Dando provas
Da imortalidade
P’r ajudar a salvar
A humanidade

Cientistas pesquisam
O que Kardec encontrou
Que afinal quem morreu
Do Além voltou
  
Os mortos estão vivos
Tão vivos como nós
Incentivam-nos à Vida
Não ao suicídio atroz

Comprovam a reencarnação
Com dados inquestionáveis
Para entendermos a tolice
Dos suicídios reprováveis

Se a vida continua
Como a ciência evidencia
Matar-se na vida
É falta de pontaria

Anima-te amigo
Seja qual for a dor
Não estás só
Deus é Amor

Se souberes porfiar
E com fé prosseguires
A provação vai acabar
Acabarás a sorrir

A vida é bela
Seja como for
Do cego ao rico
A vida é uma flor

Que nos compete apreciar
Com enlevo e alegria
Sorvendo o perfume
Que nos traz cada dia

Sempre que pensares
Na tua cruz
Não te esqueças
De orar a Jesus

Poeta alegre
Psicografia recebida por JC no ENL, em Óbidos, Portugal, em 22 de Março de 2012

0 comentários:

Enviar um comentário