22.10.12

O "cego"...


João era “cego”
Mas não o sabia
Pensava que “via”
No seu dia-a-dia

João, o “cego”
Era materialista
Só existia
O que estav’à vista

Comer, dormir,
Divertir, trabalhar,
Fazia o “cego”,
Sem “enxergar”

João era “cego”
E vivia como quem vê
Alimentava o ego
Ao ver-se na TV

João, o “cego”
Era um VIP
Até que um dia
O coração fez…click!

Entrou no Além
Sem dar por isso
Perturbado, fugia,
De tamanho rebuliço

Só mais tarde soube
Fora “cego” na Terra
Desconhecera o Além
Sua vida, uma “guerra”

João, o artista
Homem da sociedade
Vivera como “cego”
Perante a realidade

Só então se apercebeu
Que agora enxergava
A vida espiritual
Que na Terra desprezava

Se “vês”, toma cuidado,
Pois podes não enxergar
O que muito cego
Enxerga sem olhar

Abre os olhos da Alma
Para a imortalidade
Ama, tolera e serve
Toda a humanidade

Poeta alegre
Psicografia recebida por JC, na palestra no CCE, C. Rainha, em 16 de Setembro de 2011.

0 comentários:

Enviar um comentário