26.8.12

Ser mãe...


Oh mãe, tarefa nobre
Por Deus abençoada
Trazes no ventre
Um’alma necessitada

Tarefa atrás de tarefa
Para que o rebento cresça
E um dia seja gente
Sem que nunca esmoreça

Mas, nem sempre
Assim acontece
Por vezes a ingratidão
Recebes como prece

Ainda assim, servidora,
Pedes ao meigo Jesus
Pelo filho perdido
Nos caminhos sem luz

As lágrimas de mãe
Têm especial condão
Vão direitas ao céu
E resposta com prontidão

Mesmo que a dor
Demore muito tempo
O amor de mãe
Não esquece seu rebento

E muitas vezes é ele
O suporte final
Que permite o amparo
Ao filho boçal

Aprendamos com as mães
A amar sem condições
Senão, um dia, a vida
Nos exigirá mil perdões

A Amor é o caminho
De todos por igual
Mas o Amor de mãe
É um Amor “especial”.
  
Poeta alegre
Psicografia recebida por JC, em Óbidos, Portugal, em 20 de Agosto de 2012 

1 comentários:

Serena disse...

Grata pela partilha.

Enviar um comentário